«

»

Moedor de nanotubos | Revista Pesquisa FAPESP

Revista FAPESP destaca artigo do “unzipping”  de nanotubos por processo quimico-mecânico.

 

 

Nanotubos contendo radical hidroxila (OH) e nanotubos que apresentam radical caboxila (COOH) foram colocados em um mesmo recipiente e macerados… Um almofariz e um bastão. Com esses dois instrumentos simples, encontrados em qualquer laboratório de química ou física e até mesmo em cozinhas domésticas, uma equipe internacional de pesquisadores, da qual participaram físicos brasileiros, conseguiu transformar nanotubos de carbono em fitas de carbono com apenas um átomo de espessura e extensão de uns poucos nanômetros (1 nanômetro equivale a 1 milímetro dividido por 1 milhão), de maior interesse para a engenharia de materiais por permitirem a transmissão de corrente elétrica de forma controlada. Em um dos laboratórios da Universidade Rice, nos Estados Unidos, os pesquisadores do grupo de Pulickel Ajayan despejaram um punhado de nanotubos em um almofariz e depois o maceraram com um pilão. Ao final de 20 minutos, cerca de 80% dos nanotubos haviam se aberto no sentido do comprimento e se (…)

Source: Moedor de nanotubos | Revista Pesquisa FAPESP